segunda-feira, 20 de março de 2017

Jardim da Perdição



O que mais adoro nas mulheres
é a mudança de encantadores detalhes
em seus rostos: há manhãs em que acordam
de angelicais olheiras de quem duelou com girassóis.
Outras manhãs
de lábios rubros
de quem bebeu
sangue de rosas.
E existem aquelas manhãs
de rosto tão lívido e suave
quanto um lírio-do-nilo.
Como posso ouvir
o que as mulheres falam
se vivo sob tão louco feitiço?
Só ouço mesmo
os seus corações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário