quinta-feira, 17 de outubro de 2013

batismo

As ranhuras nos braços da cadeira
do meu suor e da minha pele
é um claro sinal de amizade
que faz dela,

da cadeira branca de plástico,
uma amiga fiel e silenciosa.

Se fria é por conta do material
de que foi feita - não por distância.

E quem diria que do mundo
e das festas quisesse o destino
que a jogassem no meu escritório.

Agora a sagrada cadeira branca de plástico
sustenta meu corpo para que a alma passeie.




Um comentário:

  1. Me parece um romance...
    Dê um abraço na musa por mim.

    ResponderExcluir