sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

migalhas

Mesmo de cabeça não tão boa
as pernas conhecem o caminho

as flores do jardim do prédio
não reclamam das minhas asas grandes
e da minha barba de fios queimados pela neve.

Algumas pousam no meu ombro
e confundem o sinal preto
com uma janela
para o céu.